Como tudo aconteceu...

Contado pela Gabi.

Quando nos conhecemos, nem imaginávamos que um dia tudo isso acabaria como um final de conto de fadas, com a realização do nosso grande sonho: o casamento! O coração aperta, o dia está chegando, e começa a passar um filme de tudo o que passamos para chegar até aqui.

Tudo começou há alguns anos. Nós éramos melhores amigos na adolescência, podemos dizer, uns 12 anos atrás. Frequentamos a mesma igreja e desde então tudo seguia com uma bela parceria de bons amigos-irmãos. 

O Yuri com 14 anos, decidiu ir com sua família para o Qatar - país localizado no oriente médio. Mantemos nosso contato. Porém ao longo dos anos, isso foi diminuindo, seguindo o curso da distância.

Nessa distância (mais de 12.300 km) e nesse tempo que passou e tivemos que aprender a lidar, muitas coisas aconteceram, tanto na minha vida, como na dele: Acertos, erros, conquistas, perdas, mudanças. Todavia, nada influenciou a essência, o carinho que sentíamos um pelo outro. O nível de amizade era de irmãos mesmo.

Por alguns motivos, ele tinha resolvido se afastar de todos aqui no Brasil. Inclusive de mim. Resolveu seguir sua vida lá, focado no seu trabalho e estudos.

Até que então no ano de 2015, com saudades e querendo entender os motivos do afastamento dele, enviei uma mensagem. E ele retornou com uma ligação. Conversamos, e tudo ficou bem. Foi como se nada, nunca, tivesse acontecido e como se só faziam algumas horas que não trocávamos sorrisos. Porque sorrisos sempre foram inevitáveis em nossas conversas.

Após aquele dia, tudo voltou a ser como sempre foi: Irmandade. Até atualizamos as redes sociais como membro de família.

O Yuri sempre teve o sonho de algum amigo conhecer o lugar que mora.

Em conversa vai e vem, não é que fui eu a "escolhida"? Após alguns dias conversando, enviou uma mensagem perguntando se eu tinha interesse em conhecer o Qatar.

Quando conversamos sobre a possibilidade eu ir para lá, coloquei nas mãos de Deus tudo, sem expectativas e certezas. Era algo impossível aos meus olhos, viajar SOZINHA, o visto dar certo devido as várias dificuldades de um país muçulmano, meus pais com tanta tradicionalidade permitirem ir tão longe... Resumindo, tantos detalhes que trariam mais certezas negativas do que positivas. 

E o assunto ficou, assim, "no ar".

Até que então, uns meses depois dessa conversa, dia 28 de dezembro de 2015 o Yuri me ligou falando que eu viajaria dia 29 de dezembro! Sim, do nada. O visto tinha saído e eu viajaria no dia seguinte.

Foi uma correria bem grande. Nada planejado. Era minha mãe ajudando arrumar uma coisa, meu pai outra.

Enfim, uma surpresa e correria imensa. Não entendia que isso estava acontecendo. Mas minha felicidade era grande por sentir a vontade de Deus prevalecendo na minha vida e saber que estaria com meu amigo e irmão depois de tantos anos. Porque eu acredito que em TUDO Deus está no controle. Inclusive em uma viagem.

Em meus pensamentos e dele, chegaria lá, iríamos rir bastante (a gente quase não ri kkkkkk) conversar, se divertir, conheceria os lugares, comidas diferentes, coisas normais que amigos e uma viagem poderiam proporcionar. Parceria total.

PORÉM, não foi bem dessa forma. 

Tudo bem, aconteceu isso tudo que escrevi, mas com outro coração. Com o coração cheio de amor e aquele amor a primeira vista.

Uma chegada no aeroporto, dois corações ardendo, os olhos cheios de lágrimas e um abraço sincero surgiu o início de um sentimento e algo tão puro, diferente do imaginado. 

Não sei explicar o que foi aquilo e a reciprocidade aconteceu. Sentimos um carinho e amor pelo outro bem diferente do que era esperado.

Assim surgiu e começou a nossa história de amor: Na minha chegada no aeroporto de Doha no Qatar. Quando vi ele me esperando, foi muito diferente. As mãos suavam, tremiam, coração batendo forte. Ele também sentiu o mesmo.

Após conversarmos sobre o que estava acontecendo conosco, esse sentimento que fazia acelerar o coração, sentados no sofá da sua casa, o Yuri perguntou se eu estava disposta a mudar minha vida e estar, agora, com ele nessa. Se eu aceitasse, ele me daria um beijo.

Foi exatamente assim.

Ficamos nos olhando por alguns segundos e... nos beijamos. (Ele é muito romântico, sim).

A partir daquele dia, minha vida realmente mudou. Hoje somos melhores amigos, irmãos, namorados, noivos e dia 17 tornaremos tudo "para sempre".

Detalhe: Foi engraçado mudarmos nosso status do Facebook de "irmãos" para "namorados".

E ah, tem algo que não posso deixar de mencionar. Antes de eu ir viajar, minha mãe perguntou se havia algum sentimento, além de amizade, envolvido. Se eu e Yuri "tínhamos algo". Eu respondi com toda certeza que "não, JAMAIS". Essa foi minha resposta, e nossa resposta, porque ele também sentia nada NADICA por mim.

Porém, antes de eu embarcar no avião, minha mãe orou e disse pra Jesus que se fosse da vontade Dele, que sentíssemos algo um pelo outro na minha chegada no aeroporto no Qatar.

Quando liguei para contar à ela sobre eu e o Yuri, falou antes de mim: "foi no aeroporto que tu sentiu algo, assim que viu ele?". Eu não entendendo nada, fiquei chocada, pois foi exatamente como aconteceu. E como ela sabia? (Essas mães... sempre sabem de tudo!)

Só sei que Deus é demais.

E assim é a vida e suas voltas. Muitas vezes não esperamos que as coisas aconteçam, é realmente surpreendente. Mas acredito que com Deus é assim, tudo melhor que o planejado. Ele nos faz experimentar a boa, agradável e perfeita vontade se nos entregamos de verdade à Ele. Rm 12:2

Às vezes, o amor pode estar lá do outro lado do mundo ou ai do seu lado, a distância não impede nada de acontecer, muito pelo contrário, ela pode trazer o melhor pra sua vida.